Fingerprinting: O que é e como escapar

03/11/2020

Se você estivesse caminhando do trabalho de volta para casa, e algum desconhecido lhe parasse na rua com uma proposição: O estranho teria autorização para acompanhar todos os seus passos, observar tudo que você faz 24 horas por dia, leria seus emails, histórico do navegador, mensagens para os amigos e família, procurar tudo que você gosta ou desgosta e anotar cada aspecto de sua vida. Em troca, você receberia ocasionalmente algumas sugestões de produtos para comprar que talvez sejam do seu agrado.

Você aceitaria a proposta? Não? Pois é exatamente isso que muitos sites e serviços na internet estão fazendo agora mesmo. Mesmo sem que saibamos, redes complexas de coleta de dados pessoais estão constantemente analisando nosso comportamento, armazenando informações sobre nossas vidas, e gerando perfis que podem ser vendidos para anunciantes. E o pior, embora técnicas antigas como cookies possam ser prevenidas com facilidade, novos métodos como o fingerprinting requerem esforço ativo para desativar.

Se a ideia de um futuro sem privacidade parece assustador, recomendamos que conheça o conceito de fingerprinting e as técnicas existentes para evitar a mais nova forma de coleta de dados na internet.

O básico

Fingerprinting, que vem da palavra em inglês “fingerprint” (impressão digital), pode pelo próprio nome nos explicar seu objetivo. Assim como temos uma impressão digital única e identificável, os sites na internet podem coletar informações específicas e agregadas ao longo do tempo para criar um perfil capaz de identificar você e seus aparelhos na rede, monitorando cada movimento.

Como toda técnica de rastreamento, a qualidade e precisão dos dados depende do número de variáveis que conseguimos controlar. Por exemplo, os endereços MAC e IP do dispositivo são extremamente valiosos para a coleta de dados, e podem ser escondidos fazendo o download de uma VPN, que mascara a conexão e deixa os dados anônimos.

No entanto, como veremos à seguir, para realmente nos livrarmos das técnicas modernas de fingerprinting, precisaremos mudar alguns hábitos e ajustes em nosso navegador.

 

Configurações recomendadas

Para a maioria dos usuários, é importante encontrar um equilíbrio entre os recursos de segurança e o uso natural do navegador. Por isso, algumas medidas mais agressivas podem ser deixadas de lado, sob a pena de menor privacidade, enquanto ainda conseguimos nos prevenir da maior parte das técnicas de rastreamento.

Assim, algumas mudanças simples podem aumentar drasticamente a privacidade na internet:

  • Use redes sociais como o Facebook e Pinterest em abas anônimas: Sites como o Facebook usam sessões persistentes para analisar seu comportamento mesmo quando está navegando em outros sites.
  • Instale uma extensão para bloquear widgets de redes sociais: Mesmo para quem está deslogado, ou nem possui conta, o Facebook rastreia o movimento dos internautas usando os botões de “Like” encontrados em blogs e sites.
  • Force a conexão via HTTPS: Nas configurações de seu navegador, opte por bloquear conexões inseguras (HTTP).
  • Não utilize fontes customizadas: A fonte usada no navegador, quando customizada, pode ser um grande indício de que você é você, ao contrário dos milhares de usuários que possuem a fonte padrão.

Além disso, remova plugins antigos e inseguros como o Adobe Flash Player, descontinuado pela própria Adobe, pois estes programas apresentam falhas de segurança que podem expor os dados do usuário.

 

Configurações avançadas

Por fim, para aqueles que buscam o nível máximo de privacidade, mesmo que isso custe um pouco de conveniência, algumas configurações a mais podem garantir que nenhuma plataforma de rastreamento conseguirá, com confiança, determinar seu perfil.

Para isso, siga as instruções:

  • Desligue seletivamente o JavaScript: O JavaScript é a linguagem de programação de alto nível que modela o comportamento dos sites. Desabilitar o JavaScript impede a maioria dos recursos de rastreamento, mas impede o funcionamento de alguns sites. Extensões inteligentes permitem definir sites com a linguagem habilitada, e sites com JavaScript desligado.
  • Ative o DNS criptografado: Navegadores modernos, como a última versão do Firefox, permitem rotear o DNS através de um protocolo anônimo e seguro.
  • Desabilite cookies e dados da sessão: Nas configurações do navegador, marque a opção para limpar os dados de navegação e cookies cada vez que reiniciar o dispositivo. Será necessário fazer login constantemente em sites e serviços online, mas não haverá possibilidade de rastreamento entre as sessões.

Com todas essas dicas, você poderá recuperar uma grande fatia de sua privacidade digital, cada vez mais ameaçada no mundo online. E para quem quiser se desvincular de serviços que não respeitam os dados do usuário, aprenda a excluir sua conta do Facebook.

Nossos Parceiros

Webeats Borssolani Store Planeta Plug Navegando e Aprendendo Desocultando Beleza Mágica Parcamp Impra Empório Hookah Maquiagem Biz

Comentários

comentários